Apreensões ocorreram nas unidades de Assis, Flórida Paulista, Irapuru, Junqueirópolis, Lavínia, Martinópolis, Presidente Bernardes, Pacaembu e Riolândia

No último final de semana (16 e 17), estabelecimentos prisionais subordinados a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado (Croeste) registraram tentativas frustradas de inserção de objetos ilícitos nos presídios e que foram barrados durante os procedimentos de revista. Vale lembrar que os visitantes flagrados são suspensos do rol de visitas e levados à Delegacia de Polícia Civil mais próxima, sem prejuízo de responderem na esfera criminal. Também é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os materiais podendo, ainda, ser instaurados Procedimentos de Apuração Preliminar para apurar supostas responsabilidades funcionais. Seguem informações de cada unidade prisional:

SÁBADO (16/06/18)
PENITENCIÁRIA “AEVP CRISTIANO DE OLIVEIRA” DE FLÓRIDA PAULISTA
O scanner corporal sinalizou positivamente para a presença de material metálico no corpo de duas visitantes, quando passavam pelo aparelho. Ao serem questionadas, as mulheres retiraram de seus órgãos genitais cada qual um “invólucro” com 01 (um) telefone móvel. Ambas foram suspensas do rol de visitas e levadas à delegacia. Os sentenciados responderão a Procedimentos Disciplinares para apuração dos fatos.

PENITENCIÁRIA “LUIZ APARECIDO FERNANDES” DE LAVÍNIA (PII)
Durante o procedimento de revista mecânica de imagem, pelo scanner corporal, na visitante A.L.P., cadastrada como companheira no rol de visitas de um sentenciado da unidade, o equipamento sinalizou positivamente para a presença de material metálico no corpo da mulher. Solicitado que a mesma repetisse o procedimento, o aparelho continuou a sinalizar positivamente para a presença de metal. Indagada, a visita retirou voluntariamente de seu órgão genital um “invólucro” contendo 01 (um) micro aparelho de telefonia móvel, sem chip de operadora. Foram lavrados os Comunicados de Evento, os sentenciados isolados preventivamente, instaurados Procedimentos Disciplinares para melhor apuração dos fatos e a mulher encaminhada juntamente com os materiais apreendidos perante a Autoridade Policial, para as providências da Polícia Judiciária, além de serem confeccionados expedientes de suspensão desta visita.

PENITENCIARIA “SILVIO YOSHIHIKO HINOHARA” DE PRESIDENTE BERNARDES
Três visitantes do sexo feminino foram surpreendidas tentando entrar com objetos proibidos (telefone celular e placa) na penitenciária, os quais foram descobertos durante procedimento de revista no scanner corporal. Os materiais estavam introduzidos nas genitálias das visitantes, as quais foram suspensas do rol de visitas e levadas à delegacia local. Para apurar a cumplicidade dos sentenciados, foram instaurados Procedimentos Disciplinares.

PENITENCIÁRIA DE IRAPURU
Antes de passar pelo scanner corporal, a companheira de um sentenciado tentou ludibriar a segurança da unidade dispensando um pacote no chão, o qual continha 02 (duas) placas de celulares. No dia seguinte, outra visita foi flagrada pelo aparelho de revista mecânica portando um invólucro com 01 (um) micro celular, inserido nas partes íntimas. A Polícia Militar foi acionada e conduziu as mulheres ao plantão policial, as quais também foram suspensas do rol de visitas. Já os sentenciados responderão a Procedimento Disciplinar para averiguação dos fatos.

DOMINGO (17/06/18)
PENITENCIÁRIA DE ASSIS
A mãe e avó de um sentenciado compareceram a unidade prisional trazendo alimentos e (01) uma garrafa de refrigerante. Porém, durante os procedimentos de revista, agentes penitenciários desconfiaram do líquido, cuja substância na realidade tratava-se de bebida alcoólica, provavelmente vodka ou pinga. As mulheres foram suspensas do rol de visitas e tomados os procedimentos administrativos.

PENITENCIÁRIA DE JUNQUEIRÓPOLIS
Duas mulheres foram impedidas de entrar na unidade prisional após passarem pelos procedimentos de revista no Boddy Scanner. Isso porque, o aparelho apontou nas imagens que havia algo oculto nas partes íntimas de ambas. Após serem averiguadas, uma confessou que trazia 01 (um) microcelular escondido e a outra entregou aos agentes extratos bancários enrolados e 02 (duas) folhas com informações bancárias. As duas foram suspensas do rol de visitas e levadas ao plantão policial, enquanto os sentenciados foram removidos ao Pavilhão Disciplinar para apuração dos fatos.

PENITENCIÁRIA “VEREADOR FREDERICO GEOMETTI” DE LAVÍNIA (PI)
Utilizando o bojo do sutiã, do tipo top, duas mulheres tentaram esconder erva esverdeada com características de maconha e entrar na unidade prisional com os possíveis entorpecentes enquanto realizariam visitas a sentenciados. Pórem, funcionários desconfiaram do odor que saia das roupas delas e, ao passá-las pelos procedimentos de revista no scanner corporal puderam observar que havia algo oculto em suas vestes. Elas então confessaram o fato e foram conduzidas com o material à delegacia de polícia, enquanto os sentenciados envolvidos foram levados ao Pavilhão Disciplinar onde responderão a Procedimento Disciplinar.

PENITENCIÁRIA “TACYAN MENEZES DE LUCENA” DE MARTINÓPOLIS
Ao tentar visitar o filho na unidade prisional, a mãe de um sentenciado foi flagrada durante os procedimentos de revista portando um invólucro introduzido na genitália contendo 01(um) micro aparelho celular. A mulher foi encaminhada à delegacia e suspensa do rol de visitas. Já o filho, que possivelmente receberia o aparelho, responderá a Procedimento Disciplinar.

PENITENCIÁRIA “OZIAS LÚCIO DOS SANTOS” DE PACAEMBU
Ao passar pelos procedimentos de revista no Body Scanner, agentes identificaram nas imagens que a companheira de um sentenciado escondia algo introduzido na genitália. Após ser questionada, a mulher confessou o fato retirando do corpo 01(um) invólucro contendo 02(duas) porções de massa epóxi. Ela foi suspensa do rol de visitas e o sentenciado isolado preventivamente em Pavilhão Disciplinar.

PENITENCIÁRIA “JOÃO BATISTA DE SANTANA” DE RIOLÂNDIA
Uma mulher foi impedida de entrar na unidade, para visitar o companheiro preso, após o equipamento de revista corporal mecânica indicar a presença de volume estranho em suas vestimentas, mais precisamente na calcinha. Ao ser questionada, ela retirou da roupa uma porção de erva verde com características de maconha. Por isso, a Polícia Militar foi acionada e a conduziu para a delegacia de polícia, sendo ainda suspensa do rol de visitas.